PIMENTAS

PIMENTAS

“…frutinhas coloridas que têm poder para provocar incêndios na boca…”
Rubem Alves

MALAGUETA

MALAGUETA

A pimenta malagueta ainda hoje é alvo de polemica sobre sua origem, como é encontrada em países da África e Portugal, com diversos nomes como piri-piri, gindungo, maguita-tuá-tuá entre outros. Alguns historiadores como Camara Cascudo, afirmam que apesar da existência da Malagueta na Costa da África é indiscutivelmente nativa da América do Sul especialmente Brasileira. É a mais consumida no Brasil de várias formas, desidratada e moída, em conservas e molhos. Saborosa e pungente, chega a 150.000 na tabela Scoville, no caso da malaguetinha caipira. A pimenta malagueta é nativa das regiões tropicais das Américas sendo a mais conhecida, consumida e cultivada no Brasil. Seu cultivo é comum na Bahia, Minas Gerais e Goiás.

BIQUINHO

BIQUINHO

A Pimenta Biquinho é originária do Brasil e está se difundindo com muita rapidez no estado de Minas Gerais. Seu nome é dado pelos seus frutos terem o formato arredondado, se estreitarem por completo na ponta formando como que um bico. Podemos encontrá-la, também, em conservas feitas em garrafas de aguardente. É bem fraca uma vez que o seu grau de picância é de apenas 1 na escala de temperatura.

BIQUINHO

BIQUINHO

A Pimenta Biquinho é originária do Brasil e está se difundindo com muita rapidez no estado de Minas Gerais. Seu nome é dado pelos seus frutos terem o formato arredondado, se estreitarem por completo na ponta formando como que um bico. Podemos encontrá-la, também, em conservas feitas em garrafas de aguardente. É bem fraca uma vez que o seu grau de picância é de apenas 1 na escala de temperatura.

BODE

BODE

A pimenta bode recebeu este nome pelo seu aroma bastante pronunciado, frutos de grande beleza, atualmente dispõem de várias cores por conta do desenvolvimento de novas cultivares pela EMPRAPA. São muito saborosas e conferem aos alimentos aroma peculiar e pungência intensa. Muito apreciada pelos admiradores de pimentas brasileiras, tem uma grande procura e é um dos produtos mais comercializados pela Companhia Uai.

CUMARI

CUMARI

A pimenta Cumari ainda é considerada, por pesquisadores, uma espécie “não-domesticada”. Existem nas serras do Sul de Minas, duas espécies nativas, disseminadas pelos passarinhos. Daí vem o nome pimenta de passarinho, uma das espécies tem os frutos pequenos de 0,8 a 1,2 cm ovalados e de cor coral a outra, muito rara, também da mesma coloração é redonda e não chega a medir mais que 0,8 cm de diâmetro. Ambas muito saborosas e de alta pungência quando maduras. Raras de serem encontradas no mercado, mas muito valorizadas pelo sabor.

CUMARI

CUMARI

A pimenta Cumari ainda é considerada, por pesquisadores, uma espécie “não-domesticada”. Existem nas serras do Sul de Minas, duas espécies nativas, disseminadas pelos passarinhos. Daí vem o nome pimenta de passarinho, uma das espécies tem os frutos pequenos de 0,8 a 1,2 cm ovalados e de cor coral a outra, muito rara, também da mesma coloração é redonda e não chega a medir mais que 0,8 cm de diâmetro. Ambas muito saborosas e de alta pungência quando maduras. Raras de serem encontradas no mercado, mas muito valorizadas pelo sabor.

CUMARI DO PARÁ

CUMARI DO PARÁ

Frutos de extrema beleza pela textura e coloração amarelada, é uma espécie do Norte do país que se adaptou bem ao clima do Sudeste e Sudoeste, muito saborosa, aromática e cítrica. Pode se considerar uma espécie semi-domesticada encontrada apenas no Brasil e na Itália. É uma pimenta bastante picante e muito apreciada por culinaristas em todo o país. As preparações de molhos com esta variedade são muito apreciadas pelo sabor e beleza, afinal os prazeres da mesa começam pelos olhos. É originária do Brasil sendo muito popular no sudeste brasileiro, cresce espontaneamente na região norte. Seus frutos maduros são de coloração amarela e muito aromáticos.

ESPORA DE GALO

ESPORA DE GALO

A Espora de Galo é uma variedade única em sabor e pungência, considerada em extinção faz parte de um resgate feito por pequenos produtores do Sul de Minas, o nome se confunde com outra variedade, porém a semelhança com uma verdadeira espora de galo é inegável, fina, alongada e curvada. Pimenta de sabor aromático e frutado, leve pungência é muito apreciada em saladas e refogados de abóbora, mugango, moranga e outros vegetais. Por ser um resgate de espécie pouco cultivada, torna-se quase uma exclusividade da “companhia uai”, sendo comercializada em molhos e em conserva.

ESPORA DE GALO

ESPORA DE GALO

A Espora de Galo é uma variedade única em sabor e pungência, considerada em extinção faz parte de um resgate feito por pequenos produtores do Sul de Minas, o nome se confunde com outra variedade, porém a semelhança com uma verdadeira espora de galo é inegável, fina, alongada e curvada. Pimenta de sabor aromático e frutado, leve pungência é muito apreciada em saladas e refogados de abóbora, mugango, moranga e outros vegetais. Por ser um resgate de espécie pouco cultivada, torna-se quase uma exclusividade da “companhia uai”, sendo comercializada em molhos e em conserva.

JALAPEÑO

JALAPEÑO

Jalapeño é sem dúvida a pimenta mais consumida na América do Norte, seu nome deriva da cidade de Jalapa capital do estado mexicano de Vera Cruz. Variedade com frutos de grande porte e com polpa bastante espessa, quando os frutos estão maduros formam-se estrias por conta dessa espessura de polpa. Por esta característica é muito utilizada em preparações de molhos conferindo bastante rendimento no preparo. Sabor único e bem pronunciado, com pungência moderada é uma pimenta muito apreciada também no Brasil. Acompanhamento imprescindível de Tacos e Burritos Mexicanos.

MALAGUETA VERDE

MALAGUETA VERDE

A pimenta Malagueta foi adotada pelos baianos e atualmente é a mais consumida naquele estado. Nativa do Brasil sua versão ainda verde tem sabor não muito diferente da madura, mas muito apreciado pelos amantes de sabores exóticos, mantém sua pungência com sabor de fruta. Também conhecida por pimenta-café, pelo cheiro semelhante ao do grão em fase de secagem.

MALAGUETA VERDE

MALAGUETA VERDE

A pimenta Malagueta foi adotada pelos baianos e atualmente é a mais consumida naquele estado. Nativa do Brasil sua versão ainda verde tem sabor não muito diferente da madura, mas muito apreciado pelos amantes de sabores exóticos, mantém sua pungência com sabor de fruta. Também conhecida por pimenta-café, pelo cheiro semelhante ao do grão em fase de secagem.